27 juin 2005

Lavadeiras, Denise Emmer

Lavadeiras do quintal

Lavem as almas cansadas

Lavem as almas pregadas

Em silêncio no varal

Lavem meu coração em sangue

Limpem as gotas do mangue

A lama do litoral...

 

Lavadeiras

Lavem as manchas do mundo,

Tirando velhos disfarces

E clareando seu rumo...

 

 

Lavadeiras do Quintal

Lavem minha alma com mel

Me deixem secar o pranto

De pendurá-la no céu...

 

Ah, Lavadeiras do espaço

Se esta canção que faço

Lavar a tua tristeza...

 

Eu também vou

Me sentar à mesma mesa

Comer o mesmo bocado,

Beber a mesma pobreza.

Posté par victoriamoutinho à 16:25 - Permalien [#]